O blog 2112 foi formado com intenção de divulgar as bandas clássicas de rock, prog, hard, jazz, punk, pop, heavy, reggae, eletrônico, country, folk, funk, blues, alternativo, ou seja o rock verdadeiro que embalou e ainda embala toda uma geração de aficcionados. Vários sons... uma só tribo!



segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Dudé e a Máfia no Estúdio Showlivre - Apresentação na íntegra

Entrevista Dudé & A Máfia



Eis um nova entrevista com nosso querido bluesman Dudé. Ele contou quase tudo... Ofereci uma mala de dinheiro pro cara “abrir a boca” mas a resposta foi direta: Não! Mas ainda assim ele contou um pouco do que rolou durante as gravações do primeiro trabalho da banda e os projetos para este ano. Bem-vindo ao Planeta Blues!!     


2112. Na entrevista anterior você fez um certo “mistério” sobre as gravações do novo trabalho. E agora você já pode abrir o jogo?


Dudé. Ainda não (risos), mas garanto que a surpresa agradará a todos


2112. Conte um pouco sobre as gravações... deu para fazer tudo o que vocês haviam planejado?


Dudé. Sim, depois de muito planejamento, acho que o resultado é o que esperávamos. Vamos ver como a galera vai responder ao nosso álbum


2112. Levaram muito tempo em estúdio?


Dudé. Na verdade, o que levamos tempo foi na criação das composições. Foram cinco anos compondo e trabalhando as músicas pra depois, escolhermos quais faixas fariam parte do álbum


2112. Vocês mesmo bancaram o projeto ou teve colaboração de fãs e admiradores da banda?


Dudé. A banda conta com três produtores. Dois deles têm estúdio próprio e o meu home studio onde parte da pré-produção foi feita. Contamos com os fãs para que nosso primeiro disco seja um sucesso de vendas


2112. O repertório é todo inédito ou muitos das composições já haviam sido testados durante os shows?


Dudé. Tem um pouco de tudo: músicas que fazem parte do swt list dos nossos shows, sons que tocamos poucas vezes ao vivo e material que nunca mostramos antes, tanto na Internet quanto nos palcos.


2112. Incluíram alguma releitura de blues?


Dudé. Dessa vez, não. O álbum todo é 100% autoral

2112. Vocês mesmo produziram o trabalho?


Dudé. Sim. Todo nosso material foi produzido por nós mesmo, o processo todo, do começo ao fim


2112. O “bebê” já tem nome?


Dudé. O nome do álbum será ''É Por Isso Que O Rock Nacional Não Vai Pra Frente'', nome de uma das nossas músicas


2112. Os fãs mais afoitos devem estar loucos para ouvir o novo trabalho. O que eles podem esperar? Pergunto isso pois você havia dito que:  “...Desde o começo da banda, a gente estipulou que nosso primeiro álbum seria um apanhado de tudo o que já citei aqui, um tipo de celebração a todos os estilos que moldaram nossas vidas de lá pra cá. Além das músicas que sempre estão no repertório dos nossos shows, existem aquelas que tocamos pouco ou simplesmente ainda não executamos ao vivo. Acho que o pessoal terá uma grande surpresa quando o lançarmos.”?


Dudé. Eu acho que o pessoal que nos acompanha vai adorar, além do novo álbum nos permitir angariar novos fãs.


2112. Vocês tem projetos para a realização de clips promocionais para divulgação do álbum?


Dudé. Sim, temos a intenção de lançarmos o álbum junto com um clipe novo de uma música totalmente inédita que nem sequer tocamos ao vivo ainda


2112. A capa já foi definida? Quem a produziu?


Dudé. A capa já está praticamente definida, mas só vamos divulgá-la no dia do lançamento do cd. Nossa capa contou com a super parceria da fotógrafa Natália Reis


2112. O novo trabalho será lançado em formato físico ou apenas no formato digital?


Dudé. Será lançado em ambos os formatos


2112. Meu amigo, o microfrone é todo seu!


Dudé. Esse é parte de um trabalho que levou cinco anos pra tomar forma. Decidimos não ser afoitos pra termos material de sobra a ser escolhido justamente pensando no melhor pros nossos fãs.

Espero que vocês curtam e comprem o disco. Caso contrário, a banda vai à falência, assim como todo o restante do cenário independente e aí, sim, vocês todos terão motivos de sobra pra dedicar suas vidas a reclamar do Pablo Vittar!!

Ela vem de Trem

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Entrevista Sylvio Passos



A história do Sylvio Passos se mistura com a de milhões de pessoas que criam fã clubes, arquivam tudo o que acham dos seus heróis, não perdem um show e depois por um capricho da vida vira amigo e confidente do seu ídolo. Essa história é real e aconteceu de fato entre ele e Raul Seixas um dos grandes heróis do rock brasileiro. Agora Sylvio cai na estrada com o grupo Putos BRothers Band à base de um rock cru e prestes a gravar seu segundo trabalho... O rock autoral agradece!!        

2112. Num tempo em que muitas bandas estão se vendendo para atingirem o topo das paradas de sucesso, vocês trilham o caminho inverso lançando um trabalho áspero, cru... um puta rock’n’blues como deve ser. Isso é “só pra variar”?     

Sylvio Passos. Realmente! Nossa proposta, a começar pelo nome, Putos BRothers Band (com BR maiúsculo), já mostra que optamos por fazer o que nós gostamos de fazer sem ter qualquer imposição externa. É visceral. É verdadeiro. 

2112. O que essas bandas não analisam é que o sucesso “imediatista” leva ao desgaste rápido como aconteceu com o RPM, com o Ultraje a Rigor, com o Nenhum de Nós entre outras bandas que hoje vivem de “shows nostálgicos” porque os fãs não aceitam novos hits. O que você espera para “Tá Todo Mundo Puto, BRother!”?      

Sylvio Passos.  O nosso som foi bem aceito pela galera do underground, esperar mais que isso acho bobagem. Nosso trabalho rodou alguns países da Europa e nos Estados Unidos, isso nos surpreendeu. O que esperamos agora é conseguir gravar nosso segundo álbum. O "Tá Todo Mundo Puto, BRother!" cumpriu sua missão, mostrou a que viemos.

2112. Creio que o sucesso vem através de um árduo trabalho como aconteceu com o próprio Raul que nunca se deixou usar pelas armadilhas da indústria fonográfica para se dar bem. Pelo contrário, ele as usou a seu favor...  

Sylvio Passos. Exatamente isso. Essa coisa de sucesso é relativa, ou seja, sucesso não quer dizer necessariamente que você deve estar o tempo todo na grande mídia. Há artistas aí pelo Brasil todo que não ocupam qualquer espaço na mídia de massa e por onde passam o sucesso é sempre garantido. 

2112. A Putos BRothers Band tem um vínculo musical/literário muito forte com a obra do mestre Raul. Até onde esta influência acontece no trabalho da banda levando em conta que vocês também ouvem outros tipos de som?   

Sylvio Passos.  Sim. Todos nós adoramos Raul e essa influência é natural mesmo que ela não apareça claramente, assim como as influências vindas de outros artistas e bandas nacionais e internacionais. 

2112. Como é o processo criativo de vocês? Todos compõem?   

Sylvio Passos. Os compositores da banda somos eu e o Agnaldo Araújo, mas, querendo ou não todos participam de um jeito ou de outro.  Por exemplo: Quando estávamos gravando, faltava uma música pra fechar o disco. Numa reunião da banda no apartamento do Agnaldo, em Campinas, colocamos um papel na mesa e cada um escreveu o que vinha na cabeça. Daí surgiu FUDEU! O resultado ficou ótimo com um ar de Iron Maiden no arranjo e uma letra onde todos da banda participaram.

2112. Neil Young certa vez confessou que seus discos foram todos gravados ao vivo como se fosse um ensaio ou uma passagem de som e depois acrescentava uns poucos overdubs. Tá Todo Mundo Puto, BRother! também foi gravado na base do 1,2,3... aperta o play ou foi do modo tradicional em etapas?

Sylvio Passos. Adoro Neil Young. De certa forma nosso disco foi gravado assim também. Foi feito um ensaio gravado antes de tudo e coisas do ensaio acabaram ficando como definitivas. Depois, em algumas sessões, fomos mexendo aqui e ali. Gravar assim é sempre bom, a gente fica mais solto. Nosso segundo álbum será gravado exatamente dessa maneira. Todo mundo no estúdio e solta o pause. Pretendemos gravar em analógico, em fita mesmo.

2112. O tempo em estúdio foi suficiente?

Sylvio Passos. Tivemos alguns problemas de ordem econômica, embora o estúdio onde gravamos nos ajudou muito nessa questão. Mas chegou um momento que já estávamos cansados de mexer aqui e ali e então resolvemos que não havia mais tempo e nem grana pra continuar. Daí fechamos o disco.

2112. O que você sentiu ao ouvir o trabalho pronto? O resultou final satisfez ou ficou além do esperado?

Sylvio Passos. Quando pegamos o trabalho já mixado e masterizado fizemos uma audição e o brilho nos olhos de todos nós deixou claro que estávamos muito satisfeitos com o resultado final. Mas, como acontece com todo mundo que grava, sempre encontra uma coisinha ou outra que poderia ser melhorada ou acrescentada. Mas, enfim, apesar de todas as dificuldades e problemas, ficamos felizes com o primeiro “filho da Putos”.

2112. Nas apresentações da banda vocês fazem releituras de Robert Johnson, Gary Moore, Pink Floyd, Elvis Presley, Deep Purple, Raul Seixas, Sérgio Sampaio... Tem grupos que se negam a fazer isso optando por tocar apenas material autoral. O que você pensa a respeito disso?

Sylvio Passos.  Fazemos questão de tocar nossas influências em todos os nossos shows, mesmo quando é focado apenas no autoral, a não ser que não seja permitido, entende? O mesmo fazemos em shows onde querem apenas nossas releituras (não fazemos cover propriamente dito), ou seja, o repertório é 95% músicas de outros artistas e bandas, mas colocamos algumas das nossas autorais estrategicamente dentro do repertório. Aí funciona bem.  Quanto a grupos que se NEGAM a tocar outros artistas, acredito que seja um direito deles tocarem apenas o que querem, assim como nós fazemos também.

2112. Na sua opinião Raul Seixas e Sérgio Sampaio são injustiçados por não terem uma melhor atenção para suas obras?

Sylvio Passos. Vejo isso mais com Sérgio Sampaio. Raul sempre foi um artista popular, muito bem aceito em vários segmentos.

2112. Acredito que Sampaio sai em desvantagem visto que nada do seu trabalho se encontra em catálogo, não é?

Sylvio Passos. O próprio Sérgio meio que optou por não fazer parte do mainstream, o estouro de Eu Quero é Botar Meu Bloco na Rua parece que assustou ele. Todo o trabalho de Sérgio Sampaio é algo de maravilhoso, singular. Não tem uma única gravação dele que não seja de fato maravilhosa. Adoro tudo.

2112. Achei muito bacana a banda trabalhar a viola caipira dentro do rock... Precisamos criar uma linguagem própria como os americanos que misturam rock com soul, com funk, com o gospel... Certa vez fiz uma resenha no meu blog sobre um box do Cartola onde afirmei que a sua obra é tão visceral quanto a do Robert Johnson. Cara, recebi e-mails “irados” dos fãs mais tradicionais me cobrando maior coerência entre outras coisas mais feias. Mas não abri mão do que disse! Raul não deixou de ser rocker porque misturou rock com baião, não é?  

Sylvio Passos. O próprio Rock and Roll surge de fusão da música dos negros com a música dos brancos. Não se atentar a isso é ignorância pura.  Raul foi um dos poucos, senão o único no Brasil a fundir todos os ritmos e estilos. Ele já fazia isso na adolescência lá em Salvador bem antes da fama. Tenho uns tapes dele ainda garoto, no início da década de 1960, misturando música brasileira com Rock and Roll.

2112. O que dizer então do Queen que misturou elementos da ópera em seu hard rock? Serão vistos como traidores por causa disso?

Sylvio Passos. Pois é. Como falei antes, as fusões são essenciais, senão não haveria qualquer evolução dentro do rock. Raul afirma que o Rock and Roll morreu em 1959 e eu entendi muito bem isso. Porque foi justamente nesse momento que as fusões todas começaram a ganhar espaço e novas tendências e até hoje a coisa continua assim. Há que se misturar tudo mesmo, só assim o rock continuará vivo para sempre.

2112. Parabéns pela ousadia de vocês!

Sylvio Passos. Nós sabemos o que estamos fazendo e também sabemos que pagamos um preço por não nos curvarmos a modismos. 

2112. Como surgiu o nome Putos BRothers Band? Você não pensou em algo tipo: Sylvio Passos Experience?   

Sylvio Passos. Nunca pensei em ter meu nome como nome de banda, embora isso pudesse ajudar um pouco, ou atrapalhar, vai saber. ha ha ha ha... Mas o nome Putos BRothers Band surgiu como uma homenagem a Raul Seixas já que todos na banda são fãs de Raul. Mas poucos sabem disso, somente fãs mais atentos sacaram essa homenagem. No último álbum de Raul, junto com Marcelo Nova, ele colocaram na contra capa do disco, na ficha técnica: "Produzido pelos Putos Brothers: Schmidt, Calazans, Nova e Seixas". Foi daí que tiramos o nome da banda porque todos nós também somos Putos BRothers.

2112. Quais são os projetos da banda para este ano?  

Sylvio Passos. Estamos desenhando nosso segundo álbum que será completamente diferente desse primeiro. Não sabemos ainda quando iremos iniciar as gravações, como falei antes. Pretendemos gravar de uma porrada só. 

2112. Achei o título do CDTá Todo Mundo Puto, BRother!”, bem condizente com a realidade que estamos vivenciando na política, nas artes, numa sociedade cada vez mais corrupta culpa do maldito bordão “o jeitinho brasileiro” não é? O que você pensa a respeito de tudo isso?    

Sylvio Passos. A ideia foi exatamente essa, numa olhada pro Brasil e pro resto do mundo captamos que tá todo mundo puto em todo o mundo. O sistema que comanda o planeta está velho e muito mal administrado, tá capengando, e a reação dos povos se faz mais que necessária, embora isso venha acontecendo há séculos.

2112. O microfone é todo seu...

Sylvio Passos.  Um trechinho de FUDEU!, o trecho que escrevi na letra, cabe bem pra fechar a entrevista. "E mesmo depois que tudo acabar/ Alguma coisa nova ainda pode rolar/ Puta que pariu/ Fudeu!!!"
















2017  Tá Todo Mundo Puto, BRother!

01 Tá Todo Mundo Puto, BRother! (Araújo & Passos) 3:39            
02 Substancial (Agnaldo Araújo) 3:14 
03 Um Blues Para Raul (Araújo & Passos) 3:47  
04 Fim de Semana (Agnaldo Araújo) 4:11  
05 Ela Vem de Trem (Araújo & Passos) 5:18 
06 Robert Johnson Blues (Araújo & Passos) 4:29
07 A Busca (Erika Bet/Agnaldo Araújo) 5:24
08 Uma Nova Canção (Araújo & Passos) 2:42
09 Sobre a Luz Há Natureza (Araújo & Passos) BRZ4D1500024  - 3:49
10 Fudeu! (Putos BRothers Band) BRZ4D1500025  - 4:43


Conheça o trabalho autoral da Putos BRothers Band disponível em todo o mundo em plataformas virtuais e também em CD.

Soundcloud: https://soundcloud.com/putosbrothersband

Napster: http://us.napster.com/artist/putos-brothers-band/album/ta-todo-mundo-puto-brother

ONErpm: https://onerpm.com/disco/album&album_number=9145078648

Microsoft/Groove: https://www.microsoft.com/pt-br/store/music/album/putos-brothers-band/t%C3%A1-todo-mundo-puto-brother/8d6kgwxg6r07

CD Baby: https://store.cdbaby.com/cd/putosbrothersband

Spotify: https://play.spotify.com/album/4BsttLjdKxPaqfjPi3H0NK

Google Play: https://play.google.com/store/music/album/Putos_BRothers_Band_T%C3%A1_Todo_Mundo_Puto_BRother?id=B75f3s3czp3udvh6ym4mjylapbm

Deezer: http://www.deezer.com/album/15614498

iTunes: https://itunes.apple.com/br/album/t%C3%A1-todo-mundo-p-o-brother/id1214599080

Amazon: https://www.amazon.com/T%C3%83-Todo-Mundo-Puto-BRother/dp/B06XJKDLWH/ref=sr_1_1?s=dmusic&ie=UTF8&qid=1490123343&sr=1-1-mp3-albums-bar-strip-0&keywords=Putos+BRothers+Band

Saavn: http://www.saavn.com/s/album/portuguese/Ta-Todo-Mundo-Puto-BRother!-2017/RhynqRdX5Bc_
Zvooq (Only in Russia, Ukraine, Belarus, Moldova, Kazakhstan, Kyrgyzstan, Tajikistan, Turkmenistan, Uzbekistan, Georgia, Armenia and Azerbaijan.)
https://zvooq.com/search/?query=T%C3%A1%20Todo%20Mundo%20Puto%2C%20BRother%21%20Putos%20BRothers%20Band
https://zvooq.com/release/4969330/

Yandex: https://music.yandex.ru/album/4199543

SHAZAM: https://www.shazam.com/pt/artist/203773044/putos-brothers-band

Putos BRothers Band: www.putosbrothersband.com.br

Aproveitando a oportunidade para parabenizar o Sylvio pelo seu aniversário e também do próprio cd da banda que completa um ano de lançado. Muita paz, muita saúde e aquela graninha no bolso... só pra variar!!